Artigos da Tag sandices veganas

9
out

Sandices veganas, III

por Nogueira em 09.out.2015 | Tags:  , , , ,  

Morfologia dos dentes e da inteligência vegana.
Que tal um sebo? Isso mesmo, uma banha? Mas de origem vegetal, claro, pois se diz, não obstante a evolução humana ser uma prova contrária, que elas são mais saudáveis. Afirmação completamente infundada? Se poderia usar como argumento fato dos inuítes ou os lapões, sim aqueles povos que vivem nas regiões Árticas e só comem alimentos de origem animal, quando emigram para a Dinamarca (no caso específico do que habitam a Groenlândia, colônia dinamarquesa) passam a sofrer com a mesma incidência estatística de problemas cardiovasculares que a média a da população dinamarquesa, bem maior que a da população inuíte a residir na Groenlândia.

O problema, pois, para o surgimento de doenças cardiovasculares não é a dieta rica em gordura e proteínas animais (se tenha claro que é uma dieta exclusivamente nessas fontes). Então o problema reside nos hábitos alimentares ocidentais ricos em alimentos industrializados e, claro, no seu componente mais importante: as gorduras vegetais. Ler mais…;



6
out

Sandices veganas, I

por Nogueira em 06.out.2015 | Tags:  , , ,  

Algo muito impressionante e mesmo divertido é a abjeta ideia de que os seres humanos sejam feitos para comer vegetais e apenas eles. Como se os humanos fossem adaptados pela evolução biológica, dos tempos do mais remoto hominídeo até agora, com um organismo herbívoro, tal um cavalo ou um bode. É evidente que apenas uma mente com uma inteligência tipicamente bovina poderia advogar tal sandice. Ela implica uma impossibilidade: o desenvolvimento dos humanos, desde o paleolítico, como consumidores de vegetais e apenas deles. Ora, é como se a agricultura em sua origem precedesse a caça e as atividades coletoras e, que em vários momentos eram impossíveis: a ocupação dos ancestrais humanos de localidades de clima temperado a frio impediu a coleta de alimentos de origem vegetal e tais antepassados eram relegados obrigatoriamente ao consumo de alimentos de origem animal especialmente nos invernos e nas eras glaciais.